Gravidez

Por que sempre queremos fazer xixi grávida?


Entre os muitos males pequenos que pontuam a vida cotidiana das mulheres grávidas, há um que é mais premente do que os outros! O desejo quase incessante de fazer xixi às vezes é um dos primeiros sinais de gravidez. Como esse pequeno inconveniente é explicado?

A maioria das gestantes vê seus dias pontuados por viagens de ida e volta à CC mais frequentes do que o habitual.

A falha com hormônios

  • Durante o primeiro trimestre da gravidez, a principal pessoa responsável por esses desejos imperiosos é rapidamente encontrada. Este é o famoso hormônio gonadotrofina coriônica, ou mais simplesmente chamado HCG. Esse hormônio da gravidez, particularmente abundante durante as primeiras semanas, é produzido no momento da implantação do óvulo na parede uterina. Sua principal missão é promover a secreção de estrogênio e progesterona pelo corpo lúteo antes que a placenta em formação possa, por sua vez, assumir o controle (2º trimestre). Mas, por sua ação, o hormônio HCG aumenta o volume sanguíneo na área pélvica e, de fato, aumenta a sensibilidade da bexiga, porque os rins precisam filtrar mais líquidos.

O útero, um órgão volumoso

  • Com a chegada do segundo trimestre da gravidez, o desejo frequente de urinar diminui um pouco para dar lugar a esse período desprovido - ou quase - de pequenos inconvenientes que chamamos de "primavera da gravidez". Mas agora, todas as coisas boas chegam ao fim! Bebê crescendo cada vez mais, seu útero também está se espalhando. Resultado: a pressão exercida pelo feto, pela placenta e pelo útero impulsionará a redução de volume da bexiga. Agora menor, seu bolso da bexiga precisa ser esvaziado mais regularmente. Quanto mais perto você chegar do termo, mais o fenômeno aumentará, especialmente porque algumas mulheres grávidas têm dificuldade em esvaziar completamente a bexiga.
  • Esses desejos prementes também estão ligados a uma hipotonia dos músculos perineais que amolece no início da gravidez.

Desejos urgentes: quais são os riscos?

  • Esse fenômeno não é apenas desconfortável, mas também pode causar cistite repetitiva ou até vazamento urinário no final da gravidez e após o nascimento.

Pequenas dicas para limitar o constrangimento

  • Se não for possível lutar contra seus desejos recorrentes de ir ao banheiro, é possível reduzir o desconforto dessa situação adotando algumas medidas simples.
  • Antes de mais nada, não adianta tentar impedi-lo, esperando aumentar a frequência de ida e volta. Essa é uma necessidade fisiológica contra a qual você não pode fazer nada. Não limite seu consumo diário de água a menos de urinar. Uma boa hidratação é essencial para o bom andamento da gravidez. No entanto, pense em fragmentar seu consumo. Hidrate em pequenos goles ao longo do dia, em vez de beber um grande gole de uma só vez. Além disso, tente reduzir sua captura à noite para evitar ter que acordar várias vezes durante a noite.